10 exemplos de civismo japonês


1- É proibído falar ao telemóvel nos transportes públicos. É uma questão de respeito pelo próximo. Deve-se pois desligar o som para não incomodar ninguém. Mas é  permitido enviar SMS ou jogar. É o que o muita gente faz, como se pode ver na imagem. E os telemóveis de concha são os mais utilizados.




2- Ao andar em escadas rolantes, devemos ficar encostrados à esquerda se não estivermos com pressa, para dar passagem pela direita a quem queira andar depressa. 


3- Só se deve fumar em locais autorizados para tal. Existem pontos de fumo espalhados pela cidade e os japoneses parecem fumar bastante. 



4- É impensável deitar lixo para o chão. As ruas estão quase sempre impecavelmente limpas. Ainda assim, existem apanhadores de lixo que devem ter uma vida santa e andam apetrechados com pinças para apanhar migalhas do chão. eu vi, é verdade. Este senhor da foto estava a apanhar coisas mínimas. 





5 - Os táxis japoneses abrem a porta automaticamente para nós entrarmos. Os condutores usam luvas e o taxi está todo forrado de renda branca e bem branca. Uma vez mais, a higiene dita regras.




6 - Qualquer pessoa que tenha a leve suspeita de ter uma infecção. por mais ligeira que seja (uma simples constipação, por exemplo) coloca uma máscara para evitar o contágio. É impressionante a quantidade de gente que anda de máscara. Estão à venda em qualquer loja de conveniência.



7- Ninguém passa dinheiro para a mão de ninguém. qualquer estabelecimento comercial tem ao balcão uma bandeja de plástico ou metal onde devemos colocar o dinheiro. 




8- No metro, existem carruagens só para mulheres, ou seja à prova de "apalpadelas", já que parecer que há uns anos atrás era bastante comum alguns homens aproveitarem os apertos das horas de ponta para explorarem corpos alheios. Os homens aliás agradecem que estas carruagens tenham surgido porque podem ser multados se alguém se queixar e consta que algumas mulheres o faziam para poderem ficar com o dinheiro.



9- Nas estações de comboio existem marcas no chão com o local exacto onde nos devemos posicionar enquanto esperamos pelo comboio, para que não haja atropelos na altura de entrar e ninguém passe à frente sem respeitar a ordem de chegada à estação. Ui...o jeitão que isto dava em Portugal... E não era só nas estações de comboio, era em qualquer tipo de fila de espera. Evitava-se muita chatice. 



10- E termino com a minha preferida. Confesso que demorei algum tempo a entender porque motivo muitas casas de banho japonesas têm um botão que, depois de accionado, simula o som de uma descarga de autoclismo sem que, na verdade, tal aconteça. O som serve para camuflar eventuais ruídos que o corpo posa ter vontade de libertar, sem que exista o risco de alguém se aperceba de tal. Grande ideia.