Onde comer na ilha do Príncipe

A Juditinha foi a nossa cozinheira de eleição
O restaurante da Juditinha é muito modesto, mas é um sítio limpo,
simpático, tem cerveja fresca e apanha a RTP Internacional.

O nosso guia em São Tomé - o Kau - nasceu e viveu no Príncipe e avisou-nos logo que não havia muitos sítios onde comer. Disse-nos que na Pensão Palhota se comia bem mas que era carote, no mínimo 10 euros por pessoa. Recomendou-nos ir à "Juditinha" ou ao restaurante da Domingas, a "Pastelaria Ramos". E foi o que fizemos. A Juditinha (na foto) preparou-nos todos os dias o pequeno-almoço e o jantar, excepto no dia em que almoçámos no Bom Bom Resort e no último almoço na ilha que foi num restaurante perto do aeroporto que pertencia à Domingas. As refeições foram todas (!) marcadas com antecedência, caso contrário arriscávamo-nos a que não houvesse comida. E todas as refeições foram acompanhadas de conversas onde eu e a C. procurávamos ao máximo saber coisas sobre a ilha e sobre as pessoas que nela vivem. E como não se passa nada naquele nico de terra, excepto quando é a bienal da cultura, toda a gente gostava de conversar connosco. Afinal, só estavam seis turistas na ilha, já a contar connosco.

Uma espécie de caldeirada de andala, um peixe que lembra imenso o atum.

Um polvo estufado que se desfazia na boca

As refeições foram todas saborosa e quase sempre à base de peixe e com acompanhamento de arroz ou banana frita. Como a Juditinha era um doce de pessoa, fomos ganhando confiança para lhe pedir pratos típicos da ilha como "andala com molho de fogo" e"Bôbô frito" e papaias para a sobremesa. Ainda pedimos que nos preparasse o famoso "Calulu", mas dá uma trabalheira imensa porque implica utilizar umas 20 variedades de temperos diferentes: vários tipos de malagueta, safu e outras ervas nem sempre fáceis de encontrar.

Peixe com molho de fogo


Pagámos uma média de 5 euros cada por refeição, o que para esta ilha é um excelente preço. Existe ainda o Restaurante da Pensão D&D e um outro restaurante na marginal, o "Passô". Mas que fazer? A Juditinha conquistou-nos com a sua simpatia, com as omeletes ao pequeno-almoço, com as frutas tropicais à sobremesa, com a oferta de doce de banana, e eu, que adoro saltitar e conhecer sítios novos, dei por mim a adorar fazer as refeições quase todas no mesmo sítio. As refeições na Juditinha tiveram ainda o bónus de poder andar com esta bebé, a Reginalda, ao colo o tempo todo que me apetecesse. Levou tantos amassos! Os nomes das pessoas são, quase sempre, uma mistura do nome do pai com o nome da mãe. E depois dá nisto, Reginalda...