10 dicas para quem vai a São Tomé e ao Príncipe



- A não ser que tenha amigos na ilha com tempo para passear, é altamente recomendável contratar um guia que tenha um veículo todo-o-terreno. Foi o que eu fiz. O Kau tem um Jeep com capacidade para seis pessoas, conhece todas as estradas e propõe diferentes passeios. Até me podia ter aventurado a conduzir pela ilha, seguindo as dicas dos amigos, mas não sei se teria o sangue frio necessário para andar pelos maus caminhos onde andámos. E iria, seguramente, perder tempo precioso à procura de alguns locais de acesso complicado. Um guia, lá está, conhece sempre os melhores atalhos, sabe onde ficam todas as Roças, praias e cascatas e tem sempre umas gracinhas na manga para seduzir o turista. Tive a sorte esbarrar com o Cau  que, além de ser viajado, bom conversador, conhecedor de todas as plantas e pássaros da ilha e saber a potes de história e é giro que se farta. Ele nasceu no Príncipe pelo que  nos deu também algumas dicas fantásticas para melhor explorar a ilha, avisando desde logo que era obrigatório ir à Praia Banana. Fico-lhe eternamente agradecida porque foi a praia mais linda que conheci. Deixo aqui o contacto dele: carlosmax15@live.com.pt

- Convém levar roupa confortável, sapatos ou botas para caminhadas, garrafa de água, chapéu, toalha de banho, sapatos próprios para andar na areia (existem uns bicharocos que se podem infiltrar na nossa pele e depois são tramados de sair) e, "last but not least", óculos e tubo para fazer snorkeling. Não foi por acaso que voltei de férias apenas bronzeada na costas, rabo e parte de trás das pernas...

- Uma vez que não existem caixas de multibanco na ilha, em parte alguma (este post já tem alguns anos, nada como confirmar na embaixada se isto se mantém), convém andar sempre com algum dinheiro. Aliás, convém trazer euros de Portugal e trocá-los por dobras em qualquer lugar. Em qualquer lugar mesmo! Toda a gente faz câmbio de dinheiro e sempre pela mesma regra : 1 euro são 24.500 dobras. Mais honesto, é impossível. Mas cuidado (!),  as notas de 1000 e de 10.000 e as de 500 e 5.0000 são muito parecidas!

- Não é má ideia levar para os passeios alguns bolinhos e salgados para o caso da fome apertar. Eu abastecia-me todas as manhãs na Pastelaria Miguel Bernardes, onde também tomava o pequeno-almoço e marcava encontro com o Cau. É, talvez, a melhor pastelaria de toda a ilha e é famosa pelos iogurtes de limão de fabrico próprio. Se experimentarem, vão perceber porquê. Mas se por acaso estiverem sem víveres enquanto passeiam e a fome apertar, façam como eu fiz. Peçam a um puto qualquer que ande de catana à beira da estrada (e andam todos!) para vos ir apanhar uns cocos, umas mangas ou uma jaca.

- Encham as malas de brinquedos, canetas, livros, roupa usada e distribuam quando visitarem aldeias mais isoladas. Eu fiz a asneira de oferecer quase tudo o que levava em São Tomé e quando cheguei ao Príncipe só me apetecia cortar os pulsos por já não ter nada para oferecer! Enquanto em S. Tomé existem 160 ONG's que vão fazendo muito pelas comunidades, no Príncipe existem só duas. Raramente recebem donativos.  E as pessoas são dez vezes mais simpáticas e precisam muito, mas muito mais de ajuda!

- Nunca, mas nunca oferecer coisas à chegada a uma Roça... Basta verem um branco para as crianças começarem logo a gritar "Doce! Doce! Doce!" Se cairmos na asneira de os oferecer à chegada a uma Roça, é certinho que uns segundos mais tarde somos atropelados por dezenas e dezenas de outros miúdos que , de repente, parecem sair debaixo das pedras!!! E as carinhas tristes dos que já não levam nada são verdadeiras facadas no peito. O truque é dar o que temos para oferecer apenas no fim, já com o carro em andamento. E ainda assim, há miúdos que correm imenso tempo atrás de nós a gritar por mais. Parece estranho, mas é melhor fazer assim. E no regresso a casa, podemos sempre ocupar o espaço que ficou vazio nas malas com panos africanos e frutas exóticas.

- Aceite levar e trazer encomendas entre São Tomé e o Príncipe e vice-versa, caso alguém lhe peça. É normal fazerem estes pedidos no aeroporto já que o único barco comercial que existe faz ligações muito incertas e os voos entre as duas ilhas custam uma fortuna para os locais.

- Pedir sempre autorização para tirar fotos às pessoas. As crianças adoram ser fotografadas, mas os adultos nem por isso, excepto ao domingo quando anda tudo tão grogue com o vinho de palma que nem reparam. Por várias vezes, julguei que ia levar uma lambada ou mesmo uma valente coça pelo simples facto de apontar a lente a alguém... até nos fuzilam com o olhar! Medo...

- Experimentar novos sabores! Existem várias frutas que não se vendem sequer em Portugal, como o safu, o sape-sape, variedades de manga e de banana, fruta pão, cajamanga e papaias e mamões deliciosos (foi o que mais comi). Existe também um tubérculo que, depois de frito, dá um aperitivo excelente para acompanhar a cerveja local: mata-bala. E há peixes deliciosos, como a andala, o cherne, o peixe vermelho, o robalo, o bonito e o peixe-voador.

- Para deslocações curtas vale a pena chamar um moto-boy. Estão por todo o lado e cobram muito pouco. Recorri a eles várias vezes ao final do dia, para regressar a casa carregada de frutas.

43 comentários:

  1. Sugeria que caso quisessem oferecer coisas às crianças (ex: doces=caries) que contactassem o professor ou outra pessoa que possa repartir justamente e sem confusão.

    ResponderEliminar
  2. Oi... pode-me passar o contacto do local onde alugou esse carro? Que modelo era? Fora isso, obrigado por todo o blogue. Como preparação para a minha viagem de Outubro tem sido precioso.

    ResponderEliminar
  3. Oi... pode-me passar o contacto do local onde alugou esse carro? Que modelo era? Fora isso, obrigado por todo o blogue. Como preparação para a minha viagem de Outubro tem sido precioso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, o meu guia foi o Kau, deixo-lhe o site dele para que o tente contactar:

      http://stptelaoo.blogspot.pt/

      Boa viagem! Espero que goste tanto como eu gostei.

      Eliminar
  4. 1º GUIA EXAUSTIVO DE S. TOMÉ JÁ ESTÀ À VENDA: Encomendas do Guia Turístico de São Tomé e Príncipe podem ser encaminhadas para o e-mail pocket.tropics@gmail.com, com indicação de nome, morada de envio e número de exemplares pretendido. Os guias serão enviados pelo correio, pelo preço de capa + portes de envio. Agradece-se a indicação, no e-mail, da forma como tomaram conhecimento da publicação.

    ResponderEliminar
  5. boa tarde,

    solicitava a vossa ajuda para obter um contacto no principe que me possa fazer os transferes e a visita a ilha.
    aguardo
    obrigada

    ResponderEliminar
  6. Estive em São Tomé e Príncipe e também contei com os serviços do Cau, um guia muito bom, que recomendo vivamente. Eis o seu novo blogue http://guiaturisticostp.wordpress.com/ para quem o queira contactar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pela dica! Vou criar uma hiperligação com este link. Espero que tenha gostado da viagem.

      Eliminar
  7. Olá,

    dicas das melhores datas e voos, e como viajar de São Tomé para o Principe!? É fácil!? Qual é orçamento para 1semana!?
    Muito, muito obrigada, o blog está fantástico.

    ResponderEliminar
  8. O problema são os vistos. As agências de viagem em Portugal aproveitam-se à grande e irmos por conta própria ao consulado tratar do visto é um pesadelo à vista. O serviço é extremamente lento, para se ir fazendo esteja quem estiver à espera. Só esse facto desmotiva quem quer que seja de ir de férias para São Tomé!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem ficar em São Tomé menos de 15 dias não precisa de visto.

      Eliminar
    2. Obrigada, não sabia e é de facto uma boa notícia.

      Eliminar
    3. Será que consegue que alguém confirme esta informação? Vou viajar brevemente...
      Gostaria também de perguntar se há algum barco que vá de São Tomé para Príncipe, ou se a única ofrma é de avião. Obrigada

      Eliminar
    4. Olá Susana, há barco sim, não sei os horários que praticam, mas se for por muitos dias, compensa em relação ao avião. Deixo-lhe o link deu facebook de um guia que saberá responder-lhe a esta pergunta e que recomendo vivamente para fazer passeios na ilha: https://www.facebook.com/carlosmax.horta

      Eliminar
  9. Viva,

    Com que frequência se encontram Guias Turísticos à chegada a S. Tomé? Pergunto isto para saber a oferta que existe e se vou conseguir comparar preços...
    Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, quando lá fui não havia muitos guias mas creio que agora há mais. eu gostei muito de passear com o Carlos Max (Kau) mas sei que entretanto surgiram empresas novas. Veja estes links:
      -http://servicosturisticosstp.net/excursoes.html#.Vuvnz8cddmA
      - http://www.discoversaotomeeprincipe.com/tours-passeios-sao-tome-e-principe/
      Se for com mais pessoas, em princípio deve compensar. Quando estive em São Tomé paguei um preço pelo guia e pelo carro e não por pessoa. Mas entretanto, pode ter mudado. Depois partilhe a sua experiência, por favor. Obrigada.

      Eliminar
  10. Olá,
    Estou a fazer de voluntariado em São Tomé há 5 meses, e desde que cheguei fui sempre bombardeada pelas crianças com "Doce Doce" mas já se questionou porquê?! Sabia que as crianças não têm acesso a dentistas como em Portugal? Sabia que ao deitar doces com o carro em andamento está a causar mais disputa entre elas e a rebaixar o seu valor enquanto humanas? Por fazer levá-las à loucura e correrem atrás do carro como macacos à procura de amendoins?! Isto de mandar doces como se elas não fossem humanas, foram os turistas que trouxeram este vício para a ilha. Peço que considere melhor na sua dica e se quiser oferecer algo às crianças ofereça sim roupa ou pastas dos dentes, material escolar, mas aos adultos ou a alguma ONG que irão distribuir melhor; e doces eles comem já bastante nas frutas tropicais que são doces o suficiente para as suas necessidades alimentares. Espero que tenha usufruído do melhor de São Tomé :) Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. Olá Joana. Se já reparar no que escrevi antes, eu digo " Encham as malas de brinquedos, canetas, livros, roupa usada" e foi isso, acima de tudo, que levei. Por acaso também tinha algumas pastilhas comigo e rebuçados que acabei por dar pontualmente mas são ninharias se compararmos com os mais de 200 quilos de bagagem que levei para deixar em instituições. Acho triste o comentário que faz, comparar as crianças a macacos e as muitas roupas que levei a amendoins .Tenho a consciência tranquila de que não fiz nada disso. E as crianças, mesmo quando não lhes oferecemos nada, correm sempre atrás do carro. Nada a fazer quanto a isso. Quanto a si Joana, se gosta mesmo de ajudar, espero que um dia tenha a oportunidade de o fazer noutros países africanos mais necessitados já quem em São Tomé existem mais de 500 ONG para uma população tão pequena. É um record que dava um case study interessante. Mas lá está, não a censuro porque ajudar sem receber nada em troca é sempre uma coisa que considero muito nobre. Bom trabalho e espero que goste tanto de aí estar como eu gostei.

      Eliminar
    3. Olá Joana ,nao sei se ainda se encontra em S.Tome ...tenciono viajar para STP este ano e gostaria de levar algo que seja util para a vossa ONG. Também colaboro com uma ONG no XAI XAI em Moçambique e gostaria se saber mais sobre a ONG onde está. Já agora gostaria da sua opinião sobre a melhor altura do ano para viajar para S.Tomé

      Eliminar
    4. Olá Maria José, quanto ao clime, deixo este link onde encontra a resposta: http://www.guiaviagem.org/sao-tome-e-principe-clima/
      Boa viagem :-)

      Eliminar
    5. COM QUANTO DE DINHEIRO SE PASSA UM MÊS SOSSEGADO EM SÃO TOME?

      Eliminar
    6. Olá Elsa,
      Gostava muito de lhe enviar um email. Pode confirmar-me o endereço, sff?
      Obrigada :)
      Filipa

      Eliminar
    7. Olá Filipa

      Pode usar o formulário de contacto do blog que eu depois respondo do meu e-mail. Obrigada

      Eliminar
    8. Olá Joana Martins estive agora em São Tomé e fiquei apaixonada,sei que esteve a fazer voluntariado em São Tomé,como conseguir ir fazer voluntariado?
      Cumprimentos

      Eliminar
    9. Olá Joana, eu fui ter com pessoas que faziam voluntariado mas eu não fazia. Ainda assim, vou tentar saber como se pode contactar. Mas pode sempre tentar contactar directamente algumas das ONG que estão em São Tomé e colocar a questão. Quem para lá vai, passa no mínimo um ano a trabalhar. A empresa HBD tem vários projectos de turismo sustentável por lá, escreva-lhes, pode ser que a possam ajudar: https://pt-pt.facebook.com/PRINCIPEHBD/
      Depois conte novidades :-)

      Eliminar
  11. Boa tarde "b", a minha experiência com voluntariado em São Tomé foi específica para a elaboração da minha tese sobre o desenvolvimento das comunidades através do turtlewatching. Trabalhei muito com as comunidades locais, com o turismo e com as tartarugas marinhas. Se preferir fazer um voluntariado com tartarugas pode-se informar no site/facebook da ATM - Tartarugas a Salvo que é uma ONG portuguesa que atua em comunidades de língua portuguesa. Se quiser fazer um voluntariado mais específico com as sociedades, a OIKOS para o Desenvolvimento atua em São Tomé e tem vários projetos lá, pode-se informar melhor no site. Em Príncipe tem também pode contactar a empresa HBD, como a Elsa Bastos referiu. Espero ter ajudado. Se necessitar de mais algo não hesite :)

    ResponderEliminar
  12. Olá qual é a melhor altura para ir à são Tomé e príncipe?
    Arranja viagens baratas ?
    O meu face Tânia Henrique Monteiro, Porto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, eu acho que qualquer altura do ano é boa. De Fevereiro a Maio tem a época das chuvas, mas nunca chove o dia todo e continua a estar calor. Eu não sou agência de viagens, mas posso adiantar que para voos directos ou usa a TAP ou a STP e esta última costuma ter voos mais baratos mas não inspirara mesma confiança que a "nossa" TAP. Boa viagem, aproveite porque é um estilo lindo e ainda está pouco explorado.

      Eliminar
  13. Elisa, vou à Ilha de Príncipe em julho desse ano e estou cheia de perguntas e dúvidas. Você toparia respondê-las por e-mail ou qualquer outra forma de contato?
    Grata

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que ajudo, escreva-me através da caixa de mensagens do blog (procure do lado direito do blog, quase no final, o formulário de contacto).

      Eliminar
    2. Olá elsa.vivo em Aveiro e estou a pensar ir a sao tome este verão.
      Tenho 52 anos e vou só. .
      Pode me dizer se é seguro?
      Obrigada
      Cristina Oliveira

      Eliminar
    3. Olá Cristina, acho que pode perfeitamente fazer esta viagem sozinha. Eu andei sozinha uma vez ou outra, a passar pela cidade e ninguém me incomodou (um assobio ou outro, os homens são atrevidotes mas não passa disso). Além disso, vai sempre ter companhia se fizer passeios, pelo que não há qualquer perigo. Como em qualquer cidade, evite zonas mais vazias e escuras durante a noite. Mas não deixe de ir por não ter companhia. É um destino lindíssimo.

      Eliminar
  14. Muito obrigada Elsa
    E já agora outra pergunta, eu vou com pacote de férias viagem e hotel em regime de meia pensão.
    Quanto dinheiro terei que levar visto que não existem atm em são tomé
    Aproximadamente claro.
    Mais uma vez muito obrigada

    ResponderEliminar
  15. Olá Cristina, creio que entretanto já existe ATM em S. Tomé mas estou certa de que a agência de viagens onde adquiriu o seu pacote lhe poderá confirmar se existe ou não. Eu levaria mais 15 euros por dia para alimentação (refeição, lanche, bebidas avulsas). Depois, claro, depende se quer fazer passeios com guia já que estes tours custam, em média, 60 euros por pessoa. Caso queira ainda fazer algumas compras (tecidos africanos, artesanato, flores, aperitivos), depende da sua margem da manobra, mas não há muito estímulos ao consumo, o que até é positivo a meu ver. Espero ter ajudado.

    ResponderEliminar
  16. Bom dia Elsa
    Sim, ajudou imenso. Muito obrigada por tudo, sinto me bem mais tranquila , depois dou noticias.
    Grata. Cristina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois confirme se já há multibanco, por favor. Obrigada e boa viagem :-)

      Eliminar
  17. Ola pessoal, adorei as vossas dicas, estou pensando em fazer essa viagem mas em familia, quero dizer com o meu marido e os meus gemeos de 7 anos. Pergunto, sera seguro ir com criancas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que se as crianças estiverem devidamente vacinadas e fizerem a profilaxia da malária (costa que a doença está quase erradicada, mas eu não arriscaria), não haverá problema. Sei de pessoas que já levaram crianças a São Tomé.

      Eliminar
  18. Olá elsa como está?
    Elsa estou quase de partida para são tome,vou dia 1 de Junho e precisava de uma dica sua.
    Consegui reunir algumas coisas para levar para os meninos,roupas livros e alguns brinquedos.como ainda é alguma quantidade, levo 2 malas de 23 quilos cada que é o máximo que posso levar na tap, como devo fazer a distribuição?
    Será melhor procurar uma instituição?
    Cumprimentos.
    Cristina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cristina! As instituições já têm apoios. Se for ao Príncipe, reserve uma parte das coisas que leva (veja qual é o limite de bagagem) para lá deixar pois há poucas ONG's. Em S. Tomé há imensos pelo que eu pediria ao guia com quem fosse passear para parar numa ou mais escolas de uma zona pobre e deixava lá as coisas. Caso isto não seja viável, vá distribuindo pelas crianças das roças que visitar, mas sempre na hora da partida. Se oferecer o que quer que seja à chegada, acaba-se o seu sossego. Era isto que eu faria se lá voltasse.

      Eliminar